g2h

segunda-feira, 7 de junho de 2010

fiat palio

O Palio é um automóvel compacto produzido pela Fiat, tendo sido projetado para mercados emergentes como os da América Latina, África do Sul, Leste Europeu e alguns países asiáticos. Seu projeto foi iniciado em 1992, pelo Centro de Estilo da Fiat junto ao estúdio I.DE.A.

A Fiat já contava com um produto de tamanho similar para o mercado europeu, o Punto, lançado em 1993 para substituir o Uno, que já contava com 12 anos de mercado. O projeto, chamado de 178, teria uma suspensão mais simples e robusta e, ao contrário do Punto, daria origem uma grande família de produtos.

Foi apresentado à imprensa mundial em abril de 1996 nas versões de três e cinco portas. Foi o primeiro de uma linha de produtos que ainda conta a station Palio Weekend, lançada em março de 1997, o sedan Siena (Palio Sedan ou Albea em alguns mercados, este com pequenas alterações na traseira), apresentado em agosto de 1997 e a picape Strada, lançada em outubro de 1998.

Eleito pela Revista Autoesporte o Carro do Ano de 2001 e de 2004.



A primeira geração do Palio foi em 1996 no Brasil, e impressionava pela modernidade: ao contrário de seu antecessor (que curiosamente até hoje não saiu de linha, devido as boas vendas), o Uno, contava com linhas arredondadas, frente baixa, para-brisas bastante inclinado e pelo desenho da traseira, com lanternas invadindo o vidro traseiro, de desenho irregular.
1ª geração

No início eram oferecidas apenas duas versões, a EL 1.5, de 76 cv e a 1.6 16V, que tinha acabamento superior, e um motor de 106 cv, que permitia que o pequeno carro acelerasse de 0 a 100 km/h em menos de 10s. Também podia vir equipado com ar condicionado, freios ABS e foi o primeiro carro da categoria produzido no Brasil que podia vir equipado com bolsas infláveis frontais. O carro também inovou em ser o primeiro do mercado brasileiro que podia contar com adaptação para deficientes físicos de fábrica: entre outras adaptações, uma porta traseira corrediça estava disponível.

Ao contrário do Uno brasileiro, que usava uma suspensão traseira independente McPherson de feixes transversais - o mesmo usado no antigo Fiat 147 -, resistente, mas firme. O novo modelo vinha com eixo de torção, o mesmo sistema do Uno europeu, mais suave e com maior capacidade de filtrar as irregularidades do piso. A dianteira contava com um sub-chassi (espécie de estrutura entre a suspensão e o chassis do carro), o que permitia regulagem mais firme.

O motor 1.5 era produzido no Brasil - variação do modelo que equipava a família Uno, mas com injeção multiponto e aperfeiçoamentos para um funcionamento mais suave. O 1.6 16V era importado da Itália, e sua potência e funcionamento despertaram admiração da imprensa especializada. Os dados da fábrica indicavam velocidade máxima de 190km/h, o que o deixava apto para enfrentar as versões esportivas de seus concorrentes, mas a versão não era caracterizada assim pelo fabricante, contando com acabamento familiar e suspensões reguladas para o conforto.

Em julho de 1996 o carro era apresentado com o motor 1.0, que responderia pela maior parte de suas vendas. O motor Fiasa de 61cv equipava duas versões, a ED - que vinha apenas na versão três portas, com poucos equipamentos de série e rodas de ferro - e a EDX, de três ou cinco portas, mas com uma oferta um pouco maior de equipamentos, mas com para-choques em preto fosco.

Em junho 1998 era a versão EL com ganha o motor 1.6 8V de 82cv, produzida na Argentina, que substituía o 1.5. O acabamento interno podia ser em azul, cinza ou vermelho. Já no início de 1999 os 1.0 foram renomeadas de ED para EX e EDX para ELX, que podia vir equipada com sistema de embreagem automática, chamado de Citymatic pela fábrica. Embora não fosse caro, o sistema não chamou atenção do mercado e logo foi descontinuado.A versão EL passava para ELX, com injeção multi-ponto e 92cv.

Em fevereiro de 2000, era lançado o motor Fire 1.3 16V, produzido no Brasil. A unidade desenvolvia 80 cv, e as versões equipadas com ele tinham acabamento interno prateado e o painel de instrumentos da versão topo de linha.
[editar] 2ª Geração

A segunda geração do Fiat Palio foi lançada em 2001. O redesenho da dianteira, traseira e interior foi feito pela ItalDesign de Giurgetto Giurgiaro, que esteve no Brasil para o lançamento do modelo. Alguns criticaram a semelhança da dianteira do modelo com a o Volkswagen Gol de terceira geração: os faróis e a grade dianteira estavam mais estreitos e retangulares, e o capô tinha vincos acentuados semelhantes ao modelo alemão. Na traseira, as lanternas estavam mais arredondadas, mas as mudanças não foram tão dramáticas. O painel era novo, apesar de manter o desenho básico da versão anterior.
2ª geração

Junto ao novo desenho, novos motores de 1.0 litro foram apresentados: o Fire 1.0 8V, de 55cv - de potência menor que o antigo Fiasa(que a essa autura ja tinha sido substiituido, mas com uma melhor distribuição potência/RPM - e 1.0 16V, de 70 cv. Eram mais modernos, leves e econômicos. As unidades 1.3 16V e 1.6 16V continuavam disponíveis. O modelo com o desenho da primeira geração, ainda não-desatualizado em relação à concorrência, continuava em linha, com o nome de Palio Young, até 2002, quando foi substituída por uma versão com o novo desenho e acabamento simples. Em resposta a diminuição do IPI, que favorecia motores de maior cilindrada, a Fiat rapidamente apresentou o Palio de motor 1.3 (1.250 cm³) em versão 8 válvulas, com 67 cv. Com menor potência que o antigo 1.0 de 16V, tinha mais torque em baixas rotações. Em 2003, aproveitando um acordo de fornecimento de motores com a General Motors, o excelente motor 1.6 16V, que sofria com os altos preços de importação da Itália, foi pelo 1.8 8V de 103 cv de origem GM. Nesse mesmo ano o antigo Fiasa 1.5 voltou ao mercado, movido a álcool e equipamento apenas os modelos básicos da linha, em versões destinadas principalmente a frotistas e empresas.

A segunda geração do modelo não foi disponibilizada na África do Sul, que substituiu a primeira geração do modelo pela terceira, em 2003.

Com a chegada da terceira geração em 2004, o modelo da segunda geração foi mantido na versão Fire, com interior da segunda geração, ao inves do interior da primeira geração usado até 2003, e em 2004, passou a utilizar os novos motores Fire agora com 65cv de potência.
[editar] 3ª Geração
3ª geração

Em 2004 o estúdio ItalDesign foi novamente requisitado para uma nova reforma no modelo. Embora mantivesse a mesma carroceria desde seu lançamento, os novos retoques tentavam diferenciar o Palio da concorrência e de suas próprias gerações anteriores: os faróis estavam maiores e abaulados em sua parte inferior, e a traseira exibia grandes lanternas retangulares verticais, que ainda invadiam uma pequena área do vidro traseiro, surgiu a versão HLX para substituir a versão Stile tanto no Palio quanto na Weekend,o Siena também genhou essa versão, nessa geração a Palio Adventure finalmente se popularisou.
Esportivo 1.8R

O painel era completamente novo, com linhas mais retas e modernas, e foi o primeiro carro brasileiro do segmento a contar com bolsas infláveis frontais e laterais e toca-CD com MP3 player. Os materiais empregados em seu interior eram de melhor qualidade e o ambiente geral da cabine era agradável. Foi introduzido o motor Flex que é abastecido com (álcool e/ou gasolina): 1.0 8V, que desenvolvia 65 cv com gasolina e 66 com álcool; o 1.3 8V de 70 cv abastecido com gasolina e 71 cv com álcool e o 1.8 8V, com 106 e 110 cv, respectivamente. Em 2005, o motor 1.250 deu lugar a uma nova unidade 1.4 de 80 cv.

A linha 2006 do carro podia contar com uma nova versão do motor GM de 1.8 litro, com reajustes na alimentação e árvores de balanceamento que deixavam seu funcionamento mais suave. Com 115 cv, a primeira versão equipada com esse motor foi a 1.8R, reedição das clássicas versões esportivas do Uno na década de 80. A versão se diferencia por ter acabamento interno na cor vermelha; máscara negra nos faróis, rodas exclusivas e aerofólio traseiro, neste mesmo ano a linha Fire ganhou o visual da 3ª geração, o interior ficou igual o da 2ª geração
[editar] 4ª Geração
4ª Geração
Fiat Palio Weekend Adventure Locker 2010

Desde o lançamento da "terceira geração" do Palio existiam rumores sobre a possível "quarta geração" do projeto 178 - desde uma outra pequena reestilização até mesmo a sua completa substituição pelo modelo europeu, Grande Punto.

As especulações começaram a ganhar um rumo mais sólido em abril de 2006, quando o site chinês Auto Sohu conseguiu fotografar o novo Siena, em testes naquele país. Com diferenças significativas no conjunto óptico dianteiro, as hipóteses de uma pequena atualização ou a total descontinuação da linha para 2007 estavam descartadas. O projeto foi então confirmado pela Fiat, que começou uma campanha de marketing baseada no suspense em torno das novas linhas do veículo - a cada intervalo de tempo a fábrica divulgava um detalhe diferente do desenho.

O Palio 2008 foi lançado no dia 28 de fevereiro de 2007. Os faróis de dupla parábola com formato irregular e uma leve abaulação deram lugar a faróis de parábola única e desenho convencional (parecidos com os do Grande Punto), que agora invadem as laterais. A traseira também recebeu alterações: as lanternas traseiras invadindo o vidro da tampa. As lanternas estão instaladas em uma posição baixa e em um formato horizontal, diminuindo de tamanho em relação à terceira geração(foi considerada feia por muitas pessoas). A placa de identificação voltou a ficar no pára-choque, que por sua vez ficou mais proeminente. O vidro da tampa traseira deixou de se estender até as laterais, e agora está emoldurado e com um leve caimento em sua parte inferior.

Nesta remodelação, a Fiat alterou a laterais do modelo, vincando as portas em duas posições e estendendo os pára-lamas. Tal procedimento, que envolve mais custos do que a mera re-estilização da dianteira e da traseira, faz desta a primeira modificação total da carroceria do Palio em onze anos de produção.

A linha Palio 2008 está disponível nas versões ELX 1.0 e 1.4, e na versão 1.8R, que ganha a opção de carrocerias 3 e 5 portas. O novo motor 1.8 ficou agendado para estrear em meados de 2007 - e as motorizações presentes na geração anterior continuam em linha, sem aumento na potência específica.

O Palio 1.8R passou a ser oferecido também na configuração duas portas, e foi o único da gama sem mudanças na disposição dos comandos, sendo alterados apenas as marcações no conta-giros e velocímetro, que agora, aumentam a escala ao se aproximarem do limite. A opção de duas portas apresenta agora um vidro lateral traseiro mais estreito e pontudo.

Em 2008, a Fiat incluiu maior número de itens de série em todas as versões. Agora, todas (desde a básica ELX 2P) vêm com terceiro apoio de cabeça traseiro, rodas e pneus maiores, espelho cortesia para motorista e passageiro, porta-óculos, fárois de neblina e retrovisores na cor do veículo, direção hidráulica em todas as versões e passaram a ter como opcional o acesso ao comando de voz Bluetooth.

A versão EX(básica)foi extinta da linha Palio por representar baixas vendas,a versão HLX (luxuosa) agora só e disponível na família Palio em um carro,o Fiat Siena. O interior do carro, em contraste com o exterior, foi mantido praticamente inalterado - com exceção de alguns comandos que trocaram de lugar, a exemplo do pisca-alerta que migrou do centro do painel para a parte de cima da alavanca de direção.

O modelo 2010 foi lançado no Brasil no começo de 2009, com a frente de Siena/Weekend/Strada, que tem os faróis de dupla parabola,o Palio ainda ganhou versão ELX 1.8

A partir de julho de 2009, a versão ELX que vem equipada com motor 1.8 também poderá ser equipada com o sistema Dualogic que torna o carro automática sendo desnecessário o uso do pedal de embreagem.Na Família Palio o Fiat siena HLX e a Palio Adventure também receberam o novo câmbio como opcional.
[editar] Palio Elétrico

Em junho de 2006, durante o Brazil Classics Fiat Show, a Fiat apresentou o Palio Elétrico, projetado em conjunto com a empresa suíça KWO, entre outros parceiros. O Palio elétrico é um protótipo criado pela Fiat a pedido da hidrelétrica Itaipu Binacional. Possui um motor com potência máxima de 15 Kw (20 cv), autonomia de 120km e torque máximo de 50 Nm (5,1 kgm). As suas baterias ficam sob o assoalho do porta-malas para não roubar espaço, e são construídas para fornecer a máxima autonomia com o mínimo de volume entretanto, sua recarga é lenta, demorando oito horas em uma tomada trifásica de 220 volts.

O modelo contava com câmbio automático, e sua alavanca foi substituída por outra do tipo joystick com três posições: Drive, Neutro e Ré. O console central ganhou um display para monitoramento do comportamento da bateria com informações sobre carga, tensão, temperatura e corrente.

Em julho de 2009 a Fiat apresentou à imprensa uma versão mais moderna do modelo, agora baseado na Palio Weekend.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Fiat_Bravo/Brava

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens populares

Jo3-Prestação de serviço

DIVERSÃO JOGO DA FORCA,Basta escolher a letra e acertar palavra.
___________________________________________ ___________________________________________ JOGO DA VELHA JOGO DA VELHA SIMPLES, QUE TAL DAR UMA PARADINHA E TESTAR SEUS REFLEXOS.BASTA CLICAR NOS QUADRADOS E BOA SORTE.

___________________________________________
  • DESCONTRAINDO O DIA AGITADO. Perguntas e Respostas interativo. clique pergunta em seguida resposta.

    jo3
  • Google+ Followers

    Google+ Badge